Ms. Ana Larissa Marques Perissini - CRP 06/71000 - CV: http://lattes.cnpq.br/5769412460995

Rua Lafaiete Spínola de Castro, nº 1562, Boa Vista.
São José do Rio Preto, SP.
Telefone (17) 3305.4778 - 9.8801.0121 (whatsapp)
e-mail: alperissini@gmail.com

domingo, 20 de setembro de 2015

CRISES PÓS-FÉRIAS TAMBÉM ATINGEM CRIANÇAS NO VOLTA ÀS AULAS

A volta as aulas é uma mudança difícil na rotina das crianças, especialmente para aquelas que entram pela primeira vez, e os pediatras dizem que em alguns casos pode causar uma crise de adaptação "semelhante a síndrome pós-férias dos adultos".



Segundo a Sociedade Espanhola de Atenção Primária em Pediatria (SEPEAP) as crianças podem apresentar nervosismo e estado de ansiedade quando elas têm que voltar para a escola. Nas férias as crianças não têm horários fixos, têm menos preocupações e responsabilidades, e encontram ambientes diferentes ao encontrado na escola. 

Além disso, a mudança pode estar mais presente em crianças "pequenas" que estão começando a frequentar a escola, aquelas que têm rotinas mais variadas durante as férias, que mudam de escolas e amigos ou mesmo aquelas que simplesmente mudam de ano (série) na escola.

Nesses casos, as crianças devem se adaptar aos novos professores, conhecer os novos colegas, ao novo conteúdo e, as vezes, até mesmo a uma nova escola.


Pais e professores:

Para retomar a rotina escolar de maneira menos traumática, os pediatras consideram que o apoio conjunto de pais e professores é fundamental para "transmitir uma impressão positiva do que é o retorno ao colégio". 

Em uma ou duas semanas a maioria dos estudantes, geralmente, se adaptam à escola normalmente. Porém, algumas crianças podem levar mais tempo, por isso, é necessário "ser paciente e calmo", sem exigir muito delas e oferecer um pouco mais de tempo para retomar o ritmo, já que cada criança tem o seu próprio tempo. Sempre será melhor evitar as infelizes comparações.

A melhor maneira de adapta-las antes da mudança (férias-retorno as aulas) seria inserir progressivamente rotinas que dão confiança e segurança para os alunos. Também, é bom agendar atividades extracurriculares  das crianças comprometendo-os e buscando a sua cooperação.   


"É importante lembrar que eles precisam de tempo para descansar e brincar e não é bom sobrecarregá-los de obrigações. A atividade física cotidiana e praticar algum esporte, a ajudará estar em forma, tanto o corpo quanto a mente", segundo SEPEAP.

Organizar os horários antes do primeiro dia de aula:

Os horários são uns dos aspectos fundamentais para a boa adaptação da criança a escola, ao período de aula, sendo conveniente que se coloquem em prática alguns dias antes do início as aulas, podendo ser de comum acordo. 

A hora de se levantar de todos os dias pela manhã é um dos momentos que poderá ocasionar mais conflitos e deverá ser colocado em prática gradualmente, para que o organismo vá se acostumando com o despertar dois ou três dias antes do início das aulas.

O mesmo acontece com o momento de ir para cama, podendo ser útil alertar para as crianças o horário para elas irem se deitar ou colocá-los na cama um pouco mais cedo dia após dia, para que elas consigam levantar-se mais cedo para ter o tempo necessário para se lavar, tomar o seu café da manhã e ir para a escola. Uma boa noite de sono é essencial nesta idade, explicou Ines Hidalgo, chefe do grupo Sonho SEPEAP.
Outros horários que devem ser regrados são aqueles relacionados a alimentação, televisão, jogos de vídeo-game e tecnologias em geral. "Lembre-se que as crianças não devem ter TV ou computador em seu quarto" diz Jesus Garcia Perez, grupo de pediatria social desta sociedade científica.

O especialista reconhece que as novas tecnologias são são "recursos muito úteis para fins recreativos ou de trabalho" mas deve ser compartilhado com toda famílias. Dessa forma, você pode evitar um possível isolamento da criança e se pode exercer o controle sobre ele, evitando um possível uso inadequado do mesmo, sendo recomendado pelo especialista a definição de horário de estudo e de descanso ao iniciar as aulas.

Alimentação

Os pediatras, também, enfatizam a necessidade de ter uma alimentação completa e variada, começando o dia com um café da manhã completo. Diversos estudos relacionam a falta de rendimento escolar aqueles alunos que não tomam café da manhã ou não fazem de forma adequada.


É um hábito que nunca deve se perder e se deve ser praticado com tranquilidade durante as férias, sendo um bom momento de retoma-lo de maneira positiva. Não se deve pular refeições ou comer muito mais do que o necessário. Os excesso também são negativos, explicam os especialistas.

Além disso, eles apontam a importância de manter a vacinação das crianças em dia, já que as escolas são lugares com grande número de pessoas e, portanto, com grande risco de exposição a diferentes vírus e doenças.

Disponível em: www.fundacioncadah.org



Nenhum comentário:

Postar um comentário